Impermeável

Senhora Teresa de Andrade e Silva, ou melhor, senhorita, arruma as malas para um fim-de-semana em uma pousada de praia. Separa um maiô, uma canga colorida e um casaco impermeável, daqueles com capuz. Não precisa checar a previsão do tempo; certamente serão dois dias de sol e chuva. E pelo lobby, pela areia, pela quadra poliesportiva, pela beira da piscina e por mais onde andar sozinha com suas galochas, sabe que olharão confusos para ela, e para o céu, e para ela mais uma vez. As famílias, os casais, as crianças. Mas Teresa não vai se importar. Cada um sabe de suas tempestades.

Anúncios
Esse post foi publicado em Contos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Impermeável

  1. bibi.gil disse:

    “sabe que olharão confusos para ela, e para o céu, e para ela mais uma vez. As famílias, os casais, as crianças. Mas Teresa não vai se importar. Cada um sabe de suas tempestades.”

    gostei tanto disso, o olhar que vai e volta. cada um sabe a dor e a delícia de ser o que se é, for sure.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s